Conference Agenda

Summaries and basic information about congress panels. Please note that the panel identification numbers are provisional and that (pending the publication of the final program) they appear with a dummy date of celebration.

 
Session Overview
Session
S151: Natural Capital and Rural Spaces: New Valorization Techniques and Opportunities for Rural Areas
Time:
Friday, 20/Jun/2025

Session Chair: Maria L. Loureiro;
ES+EN

Session Abstract

Governments and policy-makers are increasingly expressing interest in incorporating natural capital and ecosystem services into their decision-making processes, in order to more comprehensively account for the costs and benefits of different planning strategies and options. Agricultural ecosystems provide food, bioenergy and pharmaceuticals and are essential to human wellbeing. Preliminary assessments indicate that the value of these ecosystem services to agriculture is enormous and often undereported. Agroecosystems also produce a variety of ecosystem services, such as regulation of soil and water quality, carbon sequestration, support for biodiversity and cultural services (Power, 2010).

This parallel session aims at collecting evidence via various case studies to show the relevance of incorporating the importance of the various ecosystem services provided by rural areas as to fully understand their main contribution to the whole economy and overall human well-being. In this sense, in addition to the productive ecosystem services traditionally considered in agriculture(mainly crops and bioenergy), supporting and cultural services (such as eco-tourims and cultural landscape values) will be fully explored. New valuation techniques will be presented as to higlight the plurality and heterogeneity of different rural spaces. Based upon these results, planning options may be disccused to make the future of rural areas more sustainable.


Show help for 'Increase or decrease the abstract text size'
Presentations

TRANSIÇÃO AGROECOLÓGICA EM ASSENTAMENTOS RURAIS: DIAGNÓSTICOS E PROPOSTAS PARA O AGRICULTOR EMPREENDEDOR

Mayko Rodrigo Marins da Paixão

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão

Desde a revolução verde, uma nova visão de mundo relacionado ao homem do campo surgiu, a agroecologia, uma dinâmica que através dos anos, nos deu uma visão holística que priorizou a agricultura familiar como uma forma de subsistência que tem como foco homem e natureza.Esse trabalho objetivou-se a partir da identificação de transição agroecológica, baseando-se em pesquisa de campo e avaliação do desenvolvimento sustentável local, produzindo um diagnóstico da cadeia produtiva de valor dos sistemas agroflorestais(SAF's) e da extração e produção da farinha de mandioca( Manihot esculenta), como também dos seus derivados, ambos visando propostas voltadas a sustentabilidade e o equilibrio da biodiversidade. A pesquisa deu-se no Assentamento Bom jesus, 14 km (quilomêtros) de Zé Doca, estado do Maranhão, Amazônia- Brasil, onde foram feitos questionários com 20 pequenos produtores rurais. A interação do homem com a natureza é vista hoje como um fator interdependente , o homem faz seu manejo e a natureza faz sua parte, fornecendo matéria prima, alimento e seu espaço.Através dos dados coletados, é possível salientar que a transição agoecológica poderá se tornar de suma importância nas atividades agrícolas tradicionais levando em conta todo processo de produção ecologicamente sustentável, beneficiando o homem e a natureza.


Revalorización del sector agro-forestal y de los servicios ecosistémicos para la explotación sostenible de terrenos rurales en el noroeste de España

Antonio Alberto Rodríguez Sousa

Universidad Complutense de Madrid, España

En las últimas décadas, a causa del éxodo rural y el proceso de concentración parcelaria que ha transformado progresivamente la agricultura minifundista en latifundista en el norte de España, el abandono agro-forestal se ha visto incrementado debido a la falta de relevo generacional y a la escasa rentabilidad de estos sistemas. Este hecho demanda la realización de estudios a escala de parcela y paisaje para encontrar alternativas a los usos convencionales de estas parcelas que logren impulsar su economía rural y atraer, de este modo, a la población. En esta línea se ha observado que en territorios de uso forestal cuyo abandono actual es masivo debido a la escasa rentabilidad de la explotación maderera convencional y al gran impacto de los incendios, una alternativa que podría revalorizar este sector sería la creación de bosques mixtos de castaños (Castanea sativa, Mill. 1978) y robles carballos (Quercus robur, L. 1753), debido a la generación de micorrizas entre ambas especies con la finalidad de proceder a una extracción micológica de forma sostenible que diera lugar a grandes beneficios, además de la posibilidad de proceder, mediante un adecuado manejo edáfico, a la obtención de la certificación de madera ecológica por parte de la administración.


CATEGORIAS SOCIAIS DO CAMPO E SEU POTENCIAL NA CONSTRUÇÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR E AMBIENTAL NA REGIÃO DA CAMPANHA GAÚCHA – RS/BRASIL

Shirley Grazieli Silva Nascimento1, Daniel Hanke1, Thiago Antônio Beuron1, Joélio Farias Maia1, Nádia Velleda Caldas2, Julio Nascimento Cordeiro1

1Universidade Federal do Pampa, Brasil; 2Universidade Federal de Pelotas

As discussões a cerca da categoria Agricultura Familiar tem sido amplamente fomentada no Brasil, são inúmeros editais de programas e projetos que dão vistas a importância da atuação desse grupo social para a manutenção da segurança alimentar, hídrica e energética dos agroecossistemas. Além disto, está posta a necessidade de respaldar a produção agrícola familiar como estratégia de fortalecer a reprodução da categoria agricultura familiar. A agricultura familiar têm sido apontadas como atividades potencialmente benéficas ao meio ambiente, comparativamente a outros gêneros de atividades produtivas, sobretudo no que se refere ao uso e a conservação dos recursos naturais (solo, água e recursos da fauna e da flora). A diversidade de atividades que pode ser encontrada em uma unidade produtiva é vista como um importante fator para a prestação de serviços ambientais. O aumento do nível de diversificação da propriedade rural (número de atividades produtivas e número de componentes envolvidos nos subsistemas de produção) gera uma ampliação do nível de complexidade dos agroecossistemas.


ESTRUTURAÇÃO DE UNIDADE DE REFERÊNCIA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AMBIENTAIS COM FOCO AO DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA FAMILIAR NO SUL DO BRASIL

Daniel Hanke1, Shirley Grazieli Silva Nascimento1, Thiago Antônio Beuron1, Daiana Monteiro1, Deborah Pinheiro Dick2, Leonardo Paz Deble1

1Universidade Federal do Pampa, Brasil; 2Universidade Federal do Rio Grande do Sul

A remuneração pela prestação de serviços que geram melhorias no ecossistema, bem como benefícios para a sociedade, ganha cada vez mais espaço na gestão do meio ambiente. No Brasil existe uma discussão latente sobre a capacidade das unidades agrícola familiares de prestar diversos serviços ambientais, pois a agricultura e a pecuária familiar demonstram interconexão entre a produção de alimento, conservação de recursos naturais e otimização do uso de energia nos processos produtivos. Dentre os possíveis serviços estão: i) serviços ambientais no controle dos níveis de poluição: sequestro de C atmosférico pelo sistema solo-planta, mitigação de gases do efeito estufa, filtragem de água pelo solo e controle de processos erosivos na paisagem; ii) gestão de recursos naturais: levantamento e manejo de zonas de recarga de aquíferos, uso e manejo conservacionista do solo e da água e biodiversidade; iii) tecnologia e produtos limpos ou eficientes no uso de recursos naturais: otimização do uso de resíduos e do trabalho em unidades de produção, produção de alimentos e fibras com base nos processos ecológicos e uso de energias renováveis. Estudos que tenham como foco essas categorias sociais possuem potencial para promover uma política sólida para a segurança alimentar, hídrica e energética no meio rural.


Actores sociales, Servicios Ecosistémicos: Disputas y Conflictos. Estudio en Guichón- Paysandú-Uruguay

VERONICA FILARDO, VIRGINIA ROSSI

UDELAR, Uruguay

La noción de desarrollo sustentable lleva implícita la de tiempo, y varias dimensiones - económica, social, ambiental, cultural y política-, así como las relaciones que mantienen entre sí. La perspectiva que estudia los sistemas socio-ecológicos (SES) y los servicios ecosistémicos (SE), fuertemente ligada al desarrollo sustentable, tiene el mismo desafío: atender lo relacional. Ningún bioma puede estudiarse con autonomía de las prácticas y los comportamientos humanos, la apropiación de los SE, las instituciones que regulan el uso del suelo, el sistema político, productivo y económico que se conjugan en un espacio geográfico. El trabajo tiene tres objetivos: 1) presentar la metodología utilizada para identificar los actores sociales, caracterizarlos en función de ser afectadores o afectados en la provisión de SE por los procesos actuales de reconfiguración territorial debido al avance del agronegocio en Latinoamérica 2) Presentar los resultados obtenidos de un estudio en la localidad de Guichón (Paysandú- Uruguay) en torno a los conflictos entre diferentes actores locales, en función de los intereses que proclaman y los SE que disputan. 3) Presentar propuesta de trabajo orientada a la intervención de los actores sociales de mayor vulnerabilidad, que son quienes manifiestan mayor interés en la conservación del SES.



 
Contact and Legal Notice · Contact Address:
Conference: TRANSRURALHISTORY 2018
Conference Software - ConfTool Pro 2.6.113+TC
© 2001 - 2017 by H. Weinreich, Hamburg, Germany